Política

MDIC define composição do conselho de política industrial, que contará com setor privado

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 19, portaria que traz a participação do setor privado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), órgão que tem como missão desenvolver a nova política industrial no terceiro mandato do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

O MDIC, comandado pelo vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, quer lançar ainda neste ano um plano do que chama de neoindustrialização, marcando o retorno de iniciativas do governo para estimular a indústria.

O conselho será formado por 21 integrantes do setor privado, dos quais os presidentes de 16 entidades industriais, de três centrais sindicais (CUT, Força e UGT), além da Embraer (BVMF:EMBR3) e do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI). As entidades são associações, como a de fabricantes de máquinas e equipamentos, da indústria de alimentos, de fármacos, de automóveis e de aço.

Outros 16 representantes do setor produtivo deverão integrar o conselho na categoria de convidados, ou seja, seus dirigentes máximos poderão participar de maneira facultativa. Dentre os convidados, estão os dirigentes da Fiesp, da Gerdau (BVMF:GGBR4) e da Petrobras (BVMF:PETR4).

É um desenho diferente do que vigorou até 2016, no governo Dilma Rousseff (2011-2016), com a escolha específica de empresários. Desta vez, o MDIC optou por selecionar setores.

O CNDI é a reedição de um comitê criado em 2004, no governo Lula 1, e que ficou inativo após o fim do governo Dilma. Ganhou o apelido de “Conselhinho” por ser mais restrito do que o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o “Conselhão”, que na versão atual tem quase 250 membros da sociedade civil.

A primeira reunião do CNDI será no início do mês que vem e os encontros serão semestrais.

Além dos membros da iniciativa privada, o CNDI tem 21 representantes do governo, sendo indicados pelos ministérios, além do BNDES.

Veja a lista abaixo dos integrantes do setor privado no CNDI:

1 – Associação Brasileira da Indústria de Alimentos – Abia; 2 – Associação Brasileira da Indústria Química – Abiquim; 3 – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – Anfavea; 4 – Grupo FarmaBrasil; 5 – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast; 6 – Câmara Brasileira da Indústria da Construção – CBIC; 7 – Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base – Abdib; 8 – Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica – Abinee; 9 – Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial – IEDI; 10 – Associação Brasileira da Indústria de Semicondutores – Abisemi; 11 – Associação de Empresas de Desenvolvimento Tecnológico Nacional e Inovação – P&D Brasil; 12 – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – Abimaq; 13 – Embraer S.A.; 14 – Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de tecnologias Digitais – Brasscom; 15 – União da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia – Unica; 16 – Central Única dos Trabalhadores – CUT; 17 – Força Sindical; 18 – União Geral dos Trabalhadores – UGT; 19 – Confederação Nacional da Indústria – CNI; 20 – Instituto Brasileiro de Mineração – Ibram; e 21 – Instituto Aço Brasil.

Convidados:

1 – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – Dieese; 2 – Gerdau S.A.; 3 – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea; 4 – Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos – Eletros; 5 – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp; 6 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras; 7 – Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores – Sindipeças; 8 – Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos Sindusfarma; 9 – Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa – Interfarma; 10 – Associação Brasileira de Indústria de Dispositivos Médicos – Abimo; 11 – Confederação Nacional de Saúde, Hospitais, Estabelecimentos e Serviços – CNS; 12 – Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA; 13 – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção – Abit; 14 – Associação Brasileira das Indústrias de Calçados – Abicalçados; 15 – Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos – Abrinq; e 16 – Associação Nacional de Biotecnologia – Anbiotec.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo